Cuidar da ferida de alguém vai muito além da realização de um curativo. É necessária uma avaliação sistemática com critérios e protocolos bem estabelecidos, avaliação, padronização e seleção da cobertura correta, bem como as anotações e evoluções em relação ao tratamento.

No entanto não podemos olhar somente para a ferida, o olhar para o ferido é indispensável para uma terapêutica eficaz, pois suas limitações sociais, psicológicas, nutricionais entre outras, fazem toda diferencia nesse cenário tão complexo do tratamento de feridas.

Marcia Barbosa Guimarães